sábado, 26 de setembro de 2009

Get Out!!!

A "brincadeira" eu vi em um blog que acompanho e adoro! Além dos posts muito bem escritos sobre assuntos interessantes do cotidiano, tem esses selinhos que eu acho demais: http://feliciascherer.blogspot.com/

O esquema é listar 10 escolhidos para dar um cartão vermelho! Vale pessoas, situações, atitudes, qualquer coisa que de alguma forme nos incomode. Vamos lá então:

1 - Trânsito insuportável que tira qualquer criatura, por mais zen que seja, do sério;

2 - Mal-Humor - tanto meu como alheio;

3 - Falta de $$$;

4 - Inveja;

5 - Essa roubalheira que assola a política do nosso país;

6 - Qualquer ato que prejudique o meio-ambiente;

7 - Violência;

8 - Mesquinharia;

9 - Sono atrasado;

10 - Esse clima chato de chuva, chuva, chuva, sol, chuva, chuva, sol.... Eca!!!

Como disse a Felícia no post dela, a minha lista também teria mais integrantes, mas aí fugiria às regras do jogo.....

domingo, 20 de setembro de 2009

20 de Setembro - Revolução Farroupilha.


Hino Rio-Grandense Censurado

Como a aurora precursora

Do farol da divindade,

Foi o Vinte de Setembro

O precursor da liberdade


Mostremos valor constância

Nesta ímpia e injusta guerra;

Sirvam nossas façanhas

De modelo à toda terra.



Entre nós, reviva Atenas,

Para assombro dos tiranos.

Sejamos Gregos na glória,

E na virtude, Romanos.


Mostremos valor constância

Nesta ímpia e injusta guerra;

Sirvam nossas façanhas

De modelo à toda terra.


Mas não basta prá ser livre

Ser forte aguerrido e bravo

Povo que não tem virtude

Acaba por ser escravo.


Mostremos valor constância

Nesta ímpia e injusta guerra;

Sirvam nossas façanhas

De modelo à toda terra.


A estrofe em negrito fora retirada do nosso hino, por decisão federal, durante o período do governo militar.


terça-feira, 15 de setembro de 2009

The Best Song Lately + *Alice caminhandinho*

Quem é que Não Quer Ser Feliz
Por Edvaldo Santana
Amarela flor pequena borboleta pousa nua
Passarinho canta cedo para o sol despir a lua
Ensaiando com o medo no limite da loucura
Sua paz é meu sossego seu abraço é minha cura
Quem é que não quer ser feliz
E andar por aí sorrindo adoidado
Quem é que não quer ser feliz
E andar por aí desencanado
Para isso é necessário respeitar quem está do lado
Não deixar que sua vida fique refém do passado
Se ligar que nesta vida não tem dono e nem pecado
Que errar é consequência do que pode ser mudado
Quem é que não quer ser feliz
E andar por aí sorrindo adoidado
Quem é que não quer ser feliz
E andar por aí desencanado
Videozinho para conferir o som: http://www.youtube.com/watch?v=SxUaLwAVlyM
Para aproveitar o momento "vídeos", não posso deixar de postar porque é muito meigo, filmado hoje, da minha pribinha Alice com um aninho dando os seus primeiríssimos passos. Emocionante!!!! Não é porque é da família, mas ela é linda demais.....

video

***************************************************

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Eba, mais um selinho!!

By: http://feliciascherer.blogspot.com/


Nesse, a minha querida parceira de blog se superou, olha que coisa mais linda!! Deu vontade até de usar uns óclinhos como a menina aí do desenho... mas vou ter tempo pra isso. Por enquanto agradeço a benção de ter uma vista perfeita.... Aliás até demais! Quase uma visão de raio x estilo The Super Girl.

Sabe aquelas coisas que as pessoas às vezes gostariam de ocultar? Tipo um desagrado ou então alguma fraqueza ou uma certa insegurança? Pois é, sempre tive um filtro pra perceber sentimentos alheios. Vale dizer que sou muito sensível, então as pessoas que me rodeiam dificilmente conseguem esconder insatisfações por muito tempo, assim como eu também trato de logo logo explicar minha cara de má.

******************************************

Momento desabafo: sabe o que me deixa com muita raiva? Pessoas que não sabem mentir. Vamos combinar que pior do que mentir, é mentir mal. Não que eu seja uma mentirosa de carteirinha, mas se por algum motivo o tive que fazer, vou nela até o final. Mas tem gente que se atrapalha e começa com uma versão X, daqui a pouco a versão já virou Y e mais além a versão acaba sendo Z. Mas afinal, qual versão é a que vale? Ou pior, numa dessas nenhuma das três é válida??? Ai Ai Ai... acho que vou aguardar pela versão number four e tirar minhas próprias conclusões...

********************************************

Não sei se entendi bem, mas a brincadeira do selinho era escrever cinco coisas que eu gosto??? Bom Denise, se não for eu gostei da idéia do teu post e vou fazer um top 5:

N°5 - Gosto de dormir. Desde sempre gosto muuuito de dormir. Quem me conhece sabe. Nada melhor que um cochilo depois do almoço, volto pro trabalho novinha em folha. Sempre soube que devia morar na Espanha, onde tudo fecha depois do almoço pra um descanso básico. Em especial gosto de dormir bem quentinha com um edredon macio e cheiroso e algum ventilador ligado fazendo Vrrrruuuuummmmm, Vrrruuuuuuummmmmm. É tiro e queda, sonífero do bom.

N°4 - Gosto muito de ler. E não estou fazendo a linha intelectual. Até porque gosto de ler tudo que cai na minha mão, e sendo assim, podem apostar que leio muita porcaria. Então acabo lendo desde revistas de fofocas até minha ídola, musa, idolatrada Clarice Lispector. Até semana passada estava lendo um livro que chamava "Nudez Mortal", de Nora Roberts. o livro maior viajandão, mas acaba sendo um suspense legal futurístico passado no ano de 2.058. É uma série de livros onde tudo é ".... Mortal". Minha colega de trabalho tem todos, qualquer hora peço o próximo emprestado.

N°3 - Curto bastante um Happy Hour. Na minha opinião, melhor que qualquer balada durante a semana, é sair do trabalho e ir para um pubzinho com ótimas cias beber alguma coisinha, comer alguma coisinha, dar boas risadas e ir pra casa, tomar um banho e pleft na cama (de preferência na cama do meu namorado, hehe). Vou bancar uma destemperada e sugerir alguns lugares bacaninhas pra Happy Hour: Armazém Ventura no verão é uma mára sentar naquelas mesinhas na rua, vendo e sendo muito vista; Z-Café da Padre Chagas é muito astral e as vezes tem até musiquinha ao vivo; El Basco Loco é muito legal, não vou nem comentar porque a minha comida preferida é a mexicana, então obviamente gosto muito de ir no El Pueblo e no Tehama.

N°2 - Adooooro praia. Desde pequena, acostumada a ir pro litoral em dezembro e só voltar em março, sinto uma falta disso hoje em dia. Seja aqui, melhor se for em Santa e melhor ainda se for uma prainha desconhecida e deserta. Quanto maior o clima de praia deserta melhor. Por isso amo praia no inverno. Vazia, all mine. Gosto de ir com a família, amigos, namorado. Dias de sol pra ficar das 10hs até as 20hs na beira da praia ou dias de chuva pra ficar curtindo uma rede ou uma sessão de carteado. É diversão na certa.

Number 1!!!! - O que eu não troco por nada no mundo e que disparado é o que eu mais amo na vida: ficar junto das pessoas que eu amo, de pessoas que me fazem bem e que eu me sinto à vontade. Não é com qualquer cia que eu fico completamente a vontade. Esse privilégio é para pouquíssimas pessoas. O meu eu de verdade, na transparência, só poucas pessoas tem o prazer de conhecer. E não existe melhor coisa do que estar com essas pessoas que me amam pelo que sou e que eu amo pelo que são.

********************************************

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Procura-se Uma Nação *

Uma triste realidade assola nosso país nos dias atuais. Somos brasileiros sem um sentimento de nação. O povo não tem consciência política, e seu destino fica na mão de pequenos grupos ditos politizados, que na sua imensa maioria, não representam a vontade de inclusão das massas no processo de desenvolvimento soberano. Estes poucos que governam muitos ficam a serviço de interesses meramente particulares, esquecem da essência pública implícita em seus mandatos, e remetem ao limbo um sentimento de pátria que já existiu sim no Brasil.

Em inúmeras ocasiões testemunhei valorosos relatos de patriotas de gerações pretéritas, orgulhosos de sua participação na revolução de 30, na política do Estado Novo, no movimento queremista, no retorno do Presidente Vargas ao poder em 1950. Cidadãos que reafirmam até hoje, com firme convicção, seu posicionamento em 64 seja ele qual for. Todos estes, independente de suas posições ideológicas, carregam consigo algo em comum: são patriotas que amavam e amam o país. Confesso que no alto de meus 32 anos, sinto uma ponta de inveja destes senhores que fizeram parte de uma época em que falar em ideologia fazia parte do quotidiano.

Em tempos de celebração da independência brasileira, pergunto-me em que momento da história recente se perdeu o sentimento de amor à pátria, o mesmo que levava multidões às ruas exigindo mudanças. Vou além. Como retomar o espírito patriótico num país onde se considera normal que crianças vivam nas ruas, sejam mendigos, pivetes, prostitutas, trabalhadores, e não estudantes? Onde se considera normal que os 1% mais ricos da população recebam 20,5% da renda nacional e os 50% mais pobres recebam apenas 13,2%? Esse é o desafio de uma nova geração, que ao invés de fugir da política por motivos muito compreensíveis, deve entender que é justamente através das adversidades que nos fortalecemos.

Lançar o futuro de uma nação ao incerto, na mão de oportunistas de plantão, é uma temeridade. O balcão de negociatas que assistimos nos informativos e jornais só tende a piorar cada vez mais, se os jovens não se engajarem com afinco nas causas públicas e nos problemas do país, da mesma forma que um dia fizeram nossos ancestrais.

Por isso, pelo bem da nossa nação, não podemos ficar apenas “olhando a banda passar”, como diria o poeta Chico Buarque. Mas para isso não basta apenas votar conscientemente nas próximas eleições. A militância efetiva, em suas diversas formas de atuação política e social, é um caminho para a retomada de um sentimento patriótico de fundamental importância para a unificação do país.
* Por Christopher Goulart - publicado no Correio do Povo (08/09/09).

***********************************

Muito bom!! Clap, Clap, Clap!!

O artigo traz a tona uma pergunta que, mais cedo ou mais tarde, acabamos fazendo a nós mesmos: cadê o nosso patriotismo?

A resposta fica um pouco óbvia, e um tanto ríspida, quando pode-se muito bem dizer que ele está no estádio junto com a seleção brasileira na Copa do Mundo, ou em fevereiro no Carnaval que faz todo o país parar. Claro que futebol e carnaval são preferências nacionais e, mais do que isso, símbolos brasileiros. Mas não podemos esquecer de outros símbolos que não são motivos de orgulho para o nosso país. Um exemplo é a péssima distribuição de renda que praticamente iguala o Brasil a países como a Guatemala, Serra Leoa e Namíbia. Outro famoso exemplo é a corrupção, onde a nossa nação é lançada entre as mais corruptas do mundo no chamado Índice de Percepção de Corrupção.

É difícil assimilar por que toda essa condescendência com problemas que estão o tempo todo embaixo do nosso nariz. É complicado entender que em um país de tantos feriados, o povo raramente saiba o que está sendo celebrado, e o motivo real da alegria é não ter que trabalhar. Não preciso ir muito longe, nossos hermanos de continente, fazem a maior bagunça no 1° de maio reivindicando empregos e salários mais justos. Festas pátrias são motivos de orgulho (bandeiras na frente das casas e fogos de artifício) na maioria dos países. E no Brasil?? Verdade seja dita que todo mundo só quer saber de ir pra praia, fazer uma churrascada, beber cerveja até cair e descansar, descansar, descansar....

Acho que o que falta mesmo é um líder capaz de mobilizar o povo e mostrar que ainda há esperança. Esse é o maior problema do Brasil, ninguém acredita mais no país, todo mundo rouba mesmo, não é assim? Os nossos líderes são uns bandidos engravatados. Ok que cada povo tem o governante que merece, mas o que parece é que se não for o Fulano, o Beltrano vai lá e rouba, e se não for o Beltrano vai estar lá o Ciclano. Enfim, como parte do povo, digo que a nossa escolha é restrita e é isso que passa na nossa cabeça: seja quem for, de um jeito ou de outro, vai roubar.

Por isso faltam pessoas que venham com credibilidade, paixão e coragem para mudar a nossa nação. Pessoas destemidas e sem rabo preso, líderes de verdade que guiem o povo para a consciência social e não para a completa alienação política que transforma o país em um "caos civilizado". Pensando bem, um líder chega a ser pouco, parece que estamos precisando mesmo é de um herói que consiga salvar esse país. E aí, quem se habilita??